Por detrás dos montes...

terça-feira, 28 de outubro de 2008
Regressei de um fim de semana bem passado, com um misto de frio, novidades, boa disposição e passeios...
(E como brinde trouxe uma constipação que além do mal estar geral, dá direito a dores de cabeça, tonturas e dores de garganta...enfim...)


Apesar de não ter como ambição morar numa aldeia como a da minha Avó, perdida no meio de Trás-os-Montes, sabe sempre bem passar lá uns dias, espairecer do nosso quotidiano, estar com a família "do Norte" e experienciar um dia a dia tão diferente do nosso...


Como sempre, fomos recebidos com alegria, galhofa, muitos pitéus...e sempre com muita simpatia, quer pelos da casa, quer pelas pessoas da aldeia, que no meio da sua humildade, têm sempre a amabilidade de nos oferecer mel, batatas, marmelos, compotas caseiras...

Eu, o meu pai e o Mike estivemos a apanhar castanhas...quase 30 kilos numa hora e tal...eu estava super entusiasmada, á cata de castanhas rechonchudas que eram mais que muitas e que se fossem deixadas para trás, á noite seriam um belo repasto para os javalis...


Passámos também por um vasto campo de abóboras que pertence ao meu tio...aliás...haviam abóboras em frente a imensas casas da aldeia o que me deixava deliciada com esta paisagem tão outonal e campestre; depois de passear e correr pelo meio delas, escolhemos a que seria o nosso "Jack O' Lantern" deste ano, uma abóbora pesadita, com cores alegres e redondinha.


A nossa casinha está linda...falta apenas o acabamento exterior que vai ser em xisto, bem á maneira antiga, e alguns detalhes por dentro...Por isso foi já inaugurada:primeiro por mim e pelo Mike, que dormimos lá pela primeira vez, estreando o quarto dos meus pais e depois num lanche/ convívio oferecido a familiares e pessoas da aldeia e também como agradecimento a todos os que colaborararam na construção da casa.

Fora da aldeia da avó, estivemos em Murça, a visitar a famosa porca e a Igreja matriz.Passámos pela casa das queijadas e do toucinho do céu, os doces mais tradicionais, e apesar de termos o nosso próprio vinho e azeite, comprámos também os de Murça, que segundo nos disseram são amplamente premiados.


Estivemos também numa aldeia entre Mirandela e Macedo de Cavaleiros:Romeu. Nunca tinha ouvido falar deste cantinho, o que é uma pena porque merece ser visitado. Uma pequena aldeia pitoresca, com uma capelinha, uma loja de artigos regionais, um Museu de Curiosidades (com relíquias de outros tempos muito engraçadas) e um restaurante muito típico ("Maria Rita"), acolhedor e agradável, com lareira acesa e serviço de jantar á antiga, sobre individuais de linho...e da comida nem vale a pena falar... Nesta aldeia produz-se o vinho tinto "Romeu" e o branco "Julieta" e um azeite que se encontra entre os 10 melhores a nível mundial.


Gosto muito de ir a Trás-os-Montes, especialmente porque tenho a oportunidade de relaxar naquele ambiente bucólico e naquela rotina que para mim é tão diferente.
Gosto do convívio e da cavaqueira.
Da alegria da Avó quando nos vê.
Da lareira.Da simpatia e da humildade.
Do sino da Igreja a tocar de 15 em 15 minutos.
Dos burrinhos e vacas a passar na rua.

Agora com a nossa casinha tudo vai ainda ter mais sabor...

bjs, Framboesa

16 zum-zun(s):

Mila Says:
28 de outubro de 2008 às 15:38

Gostei muito do relato e das fotos!! Como consegues fazer esses efeitos nelas??

BJX

Sandra Says:
28 de outubro de 2008 às 16:34

Olha miga pela tua descrição até eu estive lá...não fisicamente!:))

Adorei...as fotos, tudo...tudo!
Ainda bem que gostaste...deve ser mesmo delicioso!

Um beijinho com saudades!

sonia Says:
28 de outubro de 2008 às 16:54

Tu havias de fazer de guia turistica miga!!!Fiquei com vontade de ir là mais vezes ( o maridão é de vila real)
beijinhos e agora não te esqueças de te empaturrar com as castanhas!!

karoxinha Says:
28 de outubro de 2008 às 17:06

ola

sabes ainda no outro dia, falava com alguem... sobre como tinha começado a gostar do norte desde que estou com o Ratão... ele adora o norte... a paz o sossego (so por ai consegue-se imaginar o porquê dele gostar de estar aqui)...

o que mais gosto nestes passeios... e vais achar ridiculo... é o tempo que passamos no carro a ver a paisagem... gosto tantoooooooo...

sabes confesso, que um ratinho que me roeu aqui, por tb eu nao poder pegar no "carro" e ir a "terra"... era bom, néra... oh se era...

ahhhh!!!! o sino la da terra toca de meia em meia hora... começa as seis da manha,e pára as dez da noite :D

bjinhos karinhosos
karoxinha

Anagarras Says:
28 de outubro de 2008 às 17:49

Que fotos fantásticas!! E transmitem tanta serenidade... eu devia de ir para uma aldeia dessas relaxar.

E tu estás encantadora!! Linda de morrer :)

jinhux

Cláudia Says:
28 de outubro de 2008 às 18:08

E que bem que se deve ter lá estado :)

Olha os meus avós paternos vivem numa aldeia longe de tudo no Alentejo, gosto de lá ir e participar nas rotinas deles (excepto levantar cedo)
Mas até o ar que se respira é diferente :)

Espero que tenhas vindo bem, tirando a constipação!

Beijo do tamanho do Mundo :) e um abracinho daqueles que tu gostas!
;)

Amora Says:
29 de outubro de 2008 às 07:52

E todo este encanto é sempre mais saudável, quando estás rodeada de gente pura, onde as horas não se vêem no relógio, onde os cheiros tem sempre um intenso,....
Eu conheço essas sensações.
Invejo as castanhas, o azeite...e claro as abóboras!

Beijinhos

Menininha Says:
29 de outubro de 2008 às 09:48

olá
sabes nunca fui ao norte mas pelas fotos dá para ver que as terras lá são muito giras e deve ser uma paz.
a gripe cura-se com uns copinhos de ponxe, beijinhos

Anónimo Says:
29 de outubro de 2008 às 09:55

Eu tenho alguma sorte em viver na zona "interior" de Gaia, os meus pais não tem terrenos, mas quando vou a casa da minha tia, que por sinal é bem pertinho, gosto de ir para o campo e ver o que lá tem, desde as a bóboras, às cenouras, couves, batatas, cebolas e depois a fruta, incluindo as benditas castanhas que eu adoro.
Embora nada disto se compara com os ares que se respiram em trás-os-montes, e a simplicidade das pessoas é mais que muito. Disso eu tenho falta, de poder respirar paz e sossego.

Bem é melhor parar por aqui, que isto não é nenhum testamento.

Muitas beijocas

Arminda Pereira

Anónimo Says:
29 de outubro de 2008 às 09:56

Já me esqueci-a adoreia as fotos e o teu "relato" destes diazinhos que devem ter sido magnificos (tirando a bendita constipação).

Beijocas com rápidas melhoras.

Arminda

carol Says:
29 de outubro de 2008 às 10:41

Gosto de escapadinhas assim...e se são em lugares do nosso coração... melhor ainda ;o)

E castanhas... trouxeste?!
já percebi que vais tratar do nosso magusto ;o)

Beijos a adorar cada foto

PS vai abrir um starbucks ao lado dos pastéis de belém! No novo não tens cartaz "procura-se" ;o)

Este fim de semana é a feira do Crafts em Design no jardim da estrela... queres combinar?!

Juanita Says:
29 de outubro de 2008 às 11:04

hello!!

foi mesmo na hora H que te mandei a mensagem...tavas tu de castanhola na mão!! eh eh eh

esses fins de semana fora da nossa rotina são sempre ultra relaxantes...a parte da constipação é que não foi nada boa...mas tb começas-te logo a dividir via email!! eh eh

Menos Peso Says:
29 de outubro de 2008 às 12:31

Ai Castanhas, eu adoro castanhas e estamos quase no S. Martinho.
Bjos

Mila Says:
29 de outubro de 2008 às 14:41

Vou responder aos teus comentários lá no meu cantinho. Depois passa por lá. **

Algodão Doce Says:
29 de outubro de 2008 às 16:56

Olá!
Que bom, parece ter corrido tudo muito bem.
um fim-de-semana diferente, sem dúvida!
É muito bonita a terra das tua avó, e que lindas castanhas, nham,nham...

Beijinhos grandes
Algodão Doce

turbolenta Says:
30 de outubro de 2008 às 14:33

Que bom! Ler o que me é tão familiar.
Conheço o Romeu e o restaurante.A comida é divinal. Uma semana por aqueles lados e não havia fato que me servisse. Também sou comensal do D.Maria de Mirandela.
Realmente é pena aquela zona ser tão longe de Lisboa.Actualmente até se vai bem, mas o pior são os filhos que não apreciam muito o "nada há para fazer" dessas terriolas.
Eu até digo que há....só que eles não querem....apanhar amêndoas, cerejas,azeitonas, uvas....mas o trabalho é para os velhotes porque a eles suja-lhes as mãos. lol lol.
Mesmo assim, acho que o clima não está tão agreste como no tempo em que Mirandela não tinha aquele enorme lago.Pelo menos a cidade está muito mais fresca no Verão.
E Macedo está cada vez mais bonita! Vila Flor está a evoluir também.As estradas, mesmo as rurais estão bastante boas. E eu até nem me importo de por lá andar uns 15 dias.Eu não morro de pasmo! Eu não me chateio com o calor ou o frio.Venho de lá retemperada que é um mimo.
E realmente as pessoas das aldeias são muito simples,prestáveis, humanas.Gostam de acolher bem os visitantes.
Se calhar um destes dias ainda ponho umas fotos lá de cima.Tenho de ir à procura dos DVD.
aS melhoras!
boa semana
bjs