A importancia de ter

terça-feira, 2 de setembro de 2008


-Podemos ir hoje?

-Não filha, hoje a Mãe não pode...

-E amanhã?

-Amanhã vamos a ver se dá, está bem?

Era sempre assim.
Chegada a Setembro, ou mesmo no fim de Agosto, estava sempre mortinha por comprar material escolar novo...estava sempre desejosa que finalmente chegasse o dia em que íamos ao supermercado ou papelaria, e podia escolher minuciosamente lápis,canetas, cadernos...ok, não era muito minuciosamente que a minha mãe não ía em cantigas...havia um orçamento que tinha que ser respeitado...

Aliás, naquela altura os pais não íam em cantigas, nem tinham receio que os filhos ficassem traumatizados para toda a vida se os cadernos não fossem de marca...Os miudos também não tinham medo de não ter amigos, só porque não tinham um estojo com 360 canetas de feltro...

Há dias na Tv entrevistaram um garoto que dizia qualquer do tipo:"Gosto de levar coisas de marca e caras, porque assim sinto-me mais importante para os meus amigos"

Eu ouvi, respeitei a honestidade do garoto, mas fiquei com um amarguinho de alma...Deve ser triste pensar que os colegas só serão nosso amigos se estivermos na moda...pensar que a nossa importancia como seres humanos depende de uma marca estampada nos dossiers.

Armada em "psicóloga" de bancada comentei com o Mike que se fosse meu filho tentava explicar-lhe que os cadernos de marca são feitos no mesmo sítio que os outros, só que enquanto os senhores lá da fábrica fazem os cadernos de marca, vão dizendo:"Eh, eh, eh....vamos ingrupir mais um tótó com dinheiro para gastar...o caderno é de igual qualidade que os outros a metade do preço, é tão giro quanto os outros, mas como este tem aqui ao cantinho umas letrinhas a dizer "xis", vamos dar a entender aos miudos e papás que este é muito melhor!"

Mas na verdade sei que bem no fundo esta sensação de que só se é importante quando se dispõe do ultimo modelo, da melhor marca, dos produtos mais caros...é mesmo uma realidade...E por mais demagogias que as pessoas valem o que valem e bla-bla-bla...cada vez mais o Mundo nos mostra o contrário...

Ainda bem que eu sou do tempo em que para aprender bastava lápis de carvão, uma esferográfica, meia duzia de canetas de côr...

Os meus cadernos não eram "topo de gama" mas eram bonitos...lembro-me de uns que tinham umas bonecas tipo damas antigas e outros com uma história no verso...(lembram-se?)

A mochila dava para mais que um ano...

E ao recreio não era vergonha nenhuma partilhar o lanche com as colegas...

Adorava os dias em que íamos comprar material escolar, que tinha que durar o mais possível, o dinheiro não esticava...Vinha com meia duzia de artigos novos, reluzentes, limpinhos, a estrear...e sentia-me tão, tão importante porque se ía iniciar mais um ano escolar...

bjs, Framboesa

10 zum-zun(s):

karoxinha Says:
2 de setembro de 2008 às 13:30

Oláaaaaaaa

o que eu gostava do regresso as aulas... gostava mesmo... os meus pais levava-nos (a mim e a minha mana) a papelaria onde compravamos os livros, e la tb compravamos quase tudo para o novo ano escolar...

também nao compravamos coisas de marca... ate pq o dinehiro era sempre curto e havia limites... mas eu gostava mto das minhas coisas, q tinham sempre bonequinhas, florzinhas, ou corações... eu adorava aquilo... chegava a casa e passava horas a "admirar" as novas coisas... a folhear os livros novos... como se fosse um "namoro"...

tenho tantas tantas saudades desse tempo... gostava imenso de voltar a escola... ao contrario de muitas pessoas foi o melhor tempo, e adorei andar na escola... adorei mesmo

bjinhos karinhosos
karoxinha

Algodão Doce Says:
2 de setembro de 2008 às 14:36

Olá!
Sabes eu sempre fui muito exignte para com os meus pais, hoje arrependo-me!
Vejo que muitas vezes foi com algum sacrifício que a minha mãe me entupia de roupas de marca dos pés à cabeça...
Mas isso foi mais tarde...
Na primária, não me lembro bem mas não ligava à marca mas sim em levar coisas novas e cheias de bonequinhos...
Mochila, tinha de ser sempre uma nova!
Sim ,fui mazinha e hoje sou mãe...

Quanto à tua opinião do Viva Fit, vou mesmo experimentar uma semana que uma amiga pode oferecer...
Gostei da tua opinião e até penso como tu...na volta vou para onde andava o ano passado!
Além de que a mensalidade é menor e não tenho de pagar joia...

Beijinhos doces e boa semana
Algodão Doce

Seni Says:
2 de setembro de 2008 às 14:56

Lembro bem do regresso ás aulas. Dou por mim, agora no papel de mãe, a fazer comparações, incomparávieis entre o meu tempo e o actual.... não tem mesmo nada a ver.
Lembro-me perfeitamente desses cadernos :-))... Lembro me também da Betty Boop ( já no liceu!) adorava...
Belas recordações
kiss

Cláudia Says:
2 de setembro de 2008 às 15:19

Neste momento a culpa não é das crianças, mas sim dos pais.
Querem compensar os filhos...em vez de amor, dão lhes objectos...enfim!
E essa historia do "ele tem de marca eu tmb tenho q ter" comigo não cola...eu nunca fui assim...
COnfesso que sempre preferi comprar 2 de marca "branca" do que 1 de marca...
Mas sou eu...são escolhas :)

Beijinho

E sim, também recordo com saudade a epoca de ir buscar os livros, o material e passar o dia a folhear as paginas :)

turbolenta Says:
2 de setembro de 2008 às 18:12

Pois no meu tempo havia 2 peças que eram insubstituíveis: uma pedra (lousa) e giz.E para eu não limpar o que escrevia com a bata branca, a minha mãe comprou-me uma esponja. Aquilo é que era material!
Depois apareceram as de plásticos e que se escreviam a lápis, mas essas já eu não me lembro de as ter usado.
Qual afia qual quê....era o pai que afiava os lápis com a faca. Aquilo era à facada todos os dias porque o bico estava sempre partido.
E lápis de cor era uma caixita só 6 da Viarco.E eram um luxo! Muitas crianças nem isso tinham.
Cadernos eram uns pequeninos, com poucas folhas.(mas não eram pesados como os dossiers de agora).
No meu tempo não havia marcas de roupa. O que havia era uma bata branca por cima da roupa. Até no Liceu era a roupa da moda!(e era a ver quem tinha a bata de feitio mais bonito)..........as minhas.....coitadas, era a minha mãe que as fazia.
Mas ainda sou do tempo das canetas de aparo que se molhavam num tinteiro pequeno de cerâmica, branco, que estava incorporado na carteira .
(ai as minhas mãos.Andavam sempre azuis!)

Agora o que havia em todas as escolas e que eu tinha um medo que me pelava era a malvada da régua de madeira.
Não sabia a lição? reguadas aqui na minha mãozinha.( e não foram poucas!)
Cheguei à mochila....Linda de morrer!
Castanha,rectangular, de cartão e debruada a latão amarelado.
Era o modelo universal( lol lol )
Não podia era apanhar chuva!
E dava ,pelo menos para dois anos...
E compras no início do ano resumiam-se ao livro de leitura,3 cadernos(escrita,matemática e desenho),e canetas e lápis era o que sobrava do ano anterior

Alguém consegue hoje empandeirar artigos do ano anterior,mesmo a um catraio de 3 anos?
Os tempos são outros e há que acompanhar a evolução das coisas.
Mas do que eu me fui lembrar agora...
Como de costume aqui ficou "um pouco da minha vida" histórias de "cota"que, apesar de tudo,lembro com saudades.
Ah...esqueci-me...e as fotografias da primária? Lindas! lindas! lindas!Eu estou a empinar a barriga que pareço estar grávida de 3 meses!
lol lol

sininho Says:
2 de setembro de 2008 às 18:28

Tenho saudades desses tempos.. Hoje é para a minha irmã que se compra as canetas e os cadernos e tenho que admitir que tenho uma certa inveja..

Estela Says:
3 de setembro de 2008 às 00:29

Olá!

Como me revejo neste teu post...(ou não fossemos ambas da geração 77!!)

E o fixe que era nos dias de ir comprar os livros... sentia-me "cheia", completa...feliz! E nada de cadernos de marca...que por aqui também havia orçamento!
E o ritual de encadernar os livros com plastico autocolante, o cortar os cantos perfeitinhos, o colar com todo o jeitinho para não fazer bolhas...enfim, belos tempos!!!

Beijinhos e obrigada por me trazeres à memória esses dias!

Luazzinha Says:
3 de setembro de 2008 às 10:08

ola miga :)
cada vez mais dou valor ao facto de os meus pais não terem possibilidades de me dar tudo... fez de mim uma pessoa mt mais valorizada... os miudos de hoje em dia nao dão valor a nada porque têm tudo...
eu támbém ficava toda contente qd ia comprar o material escolhar que muitas vezes era o mesmo do meu irmao... a mochila tambem dava para mais de um ano... e não faziamos nenhum berreiro... sabiamos que os nossos pais não podiam... e isso fez de nós pessoas que valorizam o que têm e que não entram em depressão so pk não tÊm um caderno de marca...
enfim...
o pior é que eu tenho a sensação que os meus filhos tb vão ser assim... Deus queira que não!
bjs com carinho e mt sono

carol Says:
3 de setembro de 2008 às 11:28

Como recordo essa sensação...
Por aqui também se contavam os dias... e o orçamento ;o)

Hoje os tempos são outros... mas o meu entusiasmo é igual (fico mais entusiasmada que ela, acreditas?!)
A mochila continua a dar para mais que um ano... não é tudo o que quer... os preços são comparados, e ela sabe ;)
Ela tem a sorte de ter um ambiente escolar em que as marcas não t~em tanta importância assim... em que os meninos ainda são avaliados pelas atitudes e pela personalidade... mesmo!

No meu tempo... como o dinheiro não esticava... lembro-me de comprar papel e forrar tudo igual (a condizer)... os livros, o dossier... e fazia os meu próprios separadores... desde o início de setembro até as aulas começarem... era tempo de bricolage... e eu amava!

Beijos nostálgicos

_+*A Elite in Paris*+_ Says:
4 de setembro de 2008 às 08:02

Ola minha Framboesa, como (acho que) sabes, tenho 10 irmaos e irmas. Quando eu morava ai em Portugal, acho, e fazendo calculos, que a minha mae ganhava apenas 150€/mes para quatro de entre nos todos (os outros estavam no internato).
Marcas? nunca usei em pequena, nunca me arrepiou nao ter saco da Barbie, nunca nunca NUNCA! eu ja era diferente quando ai morava (por ser mestiça) e poderia ter sido uma diferença a mais com outras crianças mais abastadas.

Mas a verdade é que mesmo com dinheiro curto, a minha mae sempre nos tratou e cuidou de nos com o maior dos primores! (por isso as vezes podem pensar que sou "chique" demais, enquanto é apenas educação)

Voila... pensei nisto... dava um post, nao dava?